Bio na Rua 2019: a Ciência desconstruindo mitosEstudantes de Biologia da Unesp de Bauru compartilham conhecimento científico com a população bauruense

Jornal Jr

Um dos projetos realizados durante a Semana do Meio Ambiente foi o Bio na Rua (2019), uma feira científica em que estudantes do curso de Biologia da Unesp levam informações para a população. Essa edição do evento ocorreu na sexta feira, 7 de junho, das 8h às 16h, no Poupatempo do centro da cidade.

A XX Semana Integrada do Meio Ambiente de Bauru (SIMAB) termina hoje, dia 13 de junho. O tema desse ano foi “Cidade Sustentável” e ao longo de dez dias, várias palestras, oficinas e atividades foram promovidas.

Muitos estandes estavam presentes explicando aos visitantes sobre assuntos ambientais, como a bancada de Permacultura, em que os alunos falaram da agroecologia como uma alternativa a monocultura e a extração desenfreada dos recursos da natureza.

bio na rua
FOTO: RAFAELA THIMOTEO/JORNAL JR.

O estudante Diogo Martins comentou sobre como esse processo de monocultura “empobrece o solo, devasta a biodiversidade e não é viável, pois ele desperdiça”. Para a estudante Bianca Julioli, a permacultura surge como uma forma de tentar reverter isso e preservar o planeta.

FOTO: RAFAELA THIMOTEO/JORNAL JR.

Em outras bancadas foi possível aprender um pouco sobre genética, morfologia bacteriana, biologia marinha, a problemática do branqueamento dos corais, estudo de animais, insetos, sobre o corpo humano e também educação sexual.

bio na rua
FOTO: RAFAELA THIMOTEO/JORNAL JR.

Para a aluna Fernanda Borges é essencial trazer o conhecimento cientifico produzido dentro da universidade pública para todas as pessoas, para ser compartilhado e não ficar fechado no ambiente acadêmico. É uma devolutiva dos estudantes para a sociedade.

Segundo Fernanda, “o Bio na Rua é muito importante por estar atrelado a SIMAB e vincular a questão do meio ambiente com a biologia, trazendo temas tão diversos”.

A estudante participou da bancada de Educação Sexual que abordou várias questões que englobam esse tema, como: prevenção a gravidez, DSTs, abuso sexual de criança e adolescente, machismo, homofobia, transfobia e racismo.

Fernanda explica que devido ao tema Cidade Sustentável, o estande abordou a problemática do uso de absorvente, tanto na parte biológica, quanto ecológica. Ela comenta que isso gera uma produção de lixo muito grande e sugere alternativas como coletor menstrual e absorvente reutilizável.

FOTO: RAFAELA THIMOTEO/JORNAL JR.

A bancada também falou sobre a importância da camisinha, desconstruindo mitos sobre ela, além de falar sobre consentimento e violência sexual. “A gente sempre bate firme nessa tecla, pois infelizmente vivemos numa sociedade que não respeita as mulheres, LGBTs, negros… então a gente sempre tem que estar reforçando o respeito e a igualdade”, diz Fernanda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *