Jornalismo de moda é tema da palestra de Dalila na Semana de Jornal

Jornal Jr

A tarde do terceiro dia da Semana de Jornal 2017, organizada pela Jornal Jr. e com o tema “Isso é Jornalismo?”, continuou agitada. Às 14h30, a central de laboratórios da Faculdade de Artes, Arquitetura e Comunicação da Unesp Bauru, mais conhecida como Mundo Perdido, foi tomada por oficinas de introdução ao Fact-Checking com o Bauru Check e de produção de conteúdo online (introdução a SEO e WordPress) com os membros de Criação e Arte da Jornal Jr. 

Em seguida, às 16h, teve início uma palestra sobre jornalismo de moda com a especialista Dalila Dias Hayashida. Graduada em Moda pela Universidade Estadual de Maringá, ela possui experiência na área de Marketing de Moda e trabalha atualmente como professora de graduação da Faculdades Integradas de Bauru – FIB. O tema do bate-papo foi “Moda como expressão? Uma análise crítica das publicações e editoriais”.

O primeiro slide da sua apresentação já começou com um questionamento “O que é moda?”. Segundo Dalila, moda pode estar relacionada a comportamento, consumo, estilo e também a como nos “mostramos” ao mundo. “Moda é muito mais do que combinar o sapato com a bolsa”, brincou.  Através das roupas, podemos nos expressar sem utilizar palavras. A palestrante utilizou como exemplo a camiseta da Jornal Jr, que muitos estudantes utilizavam durante o evento. Como forma de identificação, as polos azuis representavam o trabalho dos membros da empresa no momento. “A gente carrega no peito aquilo que gostaríamos de falar”, salientou. Além disso, a moda pode ser, de acordo com Dalila, uma consequência do que está acontecendo no mundo ou uma representação do tempo em que se vive.

jornalismo de moda
Foto: Milena Amarante

Dalila afirmou que o estilista João Pimenta foi um dos pioneiros a utilizar a moda como forma de expressão. Suas propostas são diversificadas e inovadoras, também sendo um dos primeiros a falar sobre moda sem gênero. Segundo ela, para trabalhar com jornalismo de moda, é de extrema importância entender primeiramente os estilistas brasileiros, analisando como eles pensam e o que eles desejam mostrar com seus projetos.

A moda, segundo Dalila, nasce de um desejo ou necessidade. As necessidades dizem respeito ao conforto e ao clima, por exemplo. Já o desejo, é o que aparece nas passarelas e atrai o público. A especialista esclareceu que as passarelas demonstram o que está na moda ao extremo e é necessário uma releitura para que essa moda seja transposta para o comercial. De acordo com Dalila, é preciso ter o “feeling” do que as pessoas estão usando nas ruas para transformar o conceito em comércio.

Em seguida, para explicar sobre o que se publica hoje em dia relacionado à moda, Dalila trouxe alguns exemplos de blogueiras atuais. Julia Petit e Thássia Naves foram alguns nomes citados, com blogs ligados a vendas e redes sociais atualizadas constantemente. Além das publicações online, Dalila afirmou que muitas pessoas ainda preferem as revistas e catálogos impressos. O papel do jornalista aparece na necessidade de adequar a linguagem das matérias de moda a cada tipo de leitor. Dalila expôs um ponto crítico: “Como escrever e pra quem escrever?”. Segundo ela, é necessário conhecer e entender o público para o qual se escreve. O jornalista, assim como o estilista, deve procurar saber o que o seu público faz, como são suas leituras e que redes sociais ele utiliza, para que o objetivo de vender e manter seus clientes satisfeitos seja atingido.

Por fim, Dalila compartilhou algumas dicas para ser um bom profissional trabalhando com jornalismo de moda. Para ela, é necessário ser uma pessoa curiosa, sempre buscando novos conhecimentos e tendências, estudar muito sobre o assunto, buscar contatos e ter sempre um bloco de notas para te acompanhar nos eventos. Além disso, sugeriu a utilização moderada de tecnologias como câmera e celular. Dalila concordou que a internet é uma grande ferramenta e permite que tendências e desfiles sejam compartilhados pelo mundo todo instantaneamente, porém ela acredita que o celular pode atrapalhar a “vivência” do momento. Estar tão preocupado com a gravação do evento e com a atualização das redes sociais pode te fazer perder o melhor da programação.

Com o tema “Isso é Jornalismo?”, a Semana de Jornal 2017 contou com uma palestra sobre uma área do jornalismo que não é muito debatida nas salas de aula. Assim, Dalila incentivou os alunos com uma dica de São Francisco de Assis: “Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível”. Para ela, “moda é mais do que ser fútil e combinações, a gente também entende o outro como um ‘ser’. Nas roupas que a gente desenha, a gente quer sempre mostrar para o outro algum significado”, completou a palestrante com convicção e amor pelo jornalismo de moda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *