Vice na Semana de Jornal: André Maleronka compartilha experiências

Jornal Jr

Segunda noite da Semana de Jornal 2017 tem bate-papo sobre jornalismo e cultura com André Maleronka, editor-chefe da Vice Brasil

Após uma oficina esclarecedora sobre edição de material radiofônico ministrada pela Rádio Unesp Virtual (RUV) e uma sobre desenvolvimento de Websites conduzida por Gabriel Fernandes, a Semana de Jornal 2017 teve continuidade com um bate-papo com o editor-chefe da Vice Brasil, André Maleronka.

Depois de apresentado pelo docente da Unesp, Juliano Sousa, André iniciou sua palestra comentando sobre como o jornalismo vem passando por grandes mudanças e reforçou a necessidade de discutir sobre isso. Em seguida, ele contou um pouco sobre a história da Vice e sua trajetória dentro e fora da revista.

Apesar de não ter estudado jornalismo, André contou que sempre gostou de escrever e que começou a trabalhar aos 17 anos, realizando a cobertura de férias de um estágio de redação na MTV. Depois disso,  passou a atuar como freelancer, realizando diversos trabalhos para vários meios de comunicação. Mais tarde, decidiu fazer Geografia, para que pudesse ter uma visão mais ampla acerca do mundo.

Fã de música, sempre preferiu trabalhar com jornalismo de cultura. No seu currículo, constam contribuições na “Rolling Stone”, revista focada em música, política, e cultura popular e na “Ele e Ela”, uma revista masculina brasileira. A revista “Ele e Ela” foi uma “escola” para André. Todo mês, segundo ele, era necessário criatividade para montar as pautas e escrever reportagens com assuntos muito variados.

Ao longo de sua trajetória na área de comunicação, André percebeu que alguns assuntos não eram muito abordados nas publicações brasileiras, como rap e sexualidade. Por isso, passou a escrever sobre esses assuntos, o que o proporcionou novos conhecimentos e oportunidades de trabalho.

Vice
André falou sobre sua trajetória até chegar na Vice Brasil, sobre a história e o modelo de negócio da revista e deu dicas para os estudantes de jornalismo (Créditos: Iuri Santos/Jornal Jr.)

No início da sua trajetória na Vice, André contou que trabalhava como “faz-tudo”. Ele admitiu que seus dois primeiros anos na revista foram muito difíceis porque a cobrança era muito grande, assim como a pressão de trabalhar num veículo reconhecido internacionalmente. Para ele, “as coisas foram acontecendo” e, no fim, ele se viu melhor como editor do que repórter.

Logo, Juliano convidou a plateia para realizar perguntas para o André, dando início a um bate-papo descontraído, abrangente e esclarecedor.

Quando questionado sobre a escolha de pautas, André disse que o método de trabalho da Vice é muito parecido com os dos outros lugares onde trabalhou. Entretanto, assuntos do universo da Vice, como os problemas e as aspirações do jovem, são prioridade na hora da escolha dos assuntos a serem tratados. A ideia da revista é não ser “engessada”, mas tratar com naturalidade, conteúdos mais inusitados, como sexualidade e comportamento jovem.

Além disso, o palestrante deu uma dica aos futuros jornalistas presentes no evento: “O que eu sempre quero são jovens que saquem as coisas”. Para ele, é essencial para a contratação que o jovem se mostre interessado por certos assuntos, buscando inovação, tendo iniciativa e dando sugestões. Porém, ele acredita que é preciso tratar as escolhas profissionais com mais leveza, uma vez que nem sempre será possível escrever sobre assuntos da preferência de cada jornalista. “A gente tem nossos próprios interesses, mas a gente tem que estar aberto para outros interesses também”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *