Conheça a história do Inter

Jornal Jr

Fique por dentro da história do Inter, um dos maiores jogos universitários da América latina

Esportes, baterias, torcidas, tinta na cara. Os jogos universitários, também famosos pelas festas, reúnem jovens em um culto ao esporte praticado e apoiado por eles mesmos. Vão jogar e torcer com abadás, tintas, faixas e cabelos pintados das cores que representam suas faculdades.

O Inter é o maior evento esportivo universitário da América Latina. Ocorre anualmente entre outubro e novembro em um revezamento de cidades-sede desde 2001, quando aconteceu em Botucatu. Pela primeira vez na história acontece em Bauru, onde 23 campi lutarão pelo título em 13 modalidades: atletismo, basquete, futebol, futebol 7, futsal, handebol, judô, natação, tênis, tênis de mesa, vôlei, vôlei de praia e xadrez.  Acontece também um desafio entre líderes de torcida e um entre baterias universitárias. Todas as disputas contribuem para a conquista do título.

Os jogos foram fundados por uma associação entre as atléticas de Araraquara, Bauru, Botucatu, Franca, Guaratinguetá, Ilha Solteira, Presidente Prudente e Rio Claro, dois anos após a extinção dos “Jogos Unesp”, organizados pelo Diretório Central dos Estudantes “Helenira Resende” com o apoio da reitoria. Desde o início, não há envolvimento oficial da universidade com o evento. A partir da edição de 2013 o nome da instituição foi retirado do evento em negociação da reitoria com a liga universitária, organizadora dos jogos, e o InterUnesp passou a se chamar apenas O Inter, seguido do nome da cidade-sede.

Inter
O campus de Presidente Prudente recebeu a última edição do Inter e se sagrou campeão geral dos jogos (Reprodução: O Inter/Facebook)

Entre experiências pessoais e coletivas, as 16 edições guardam muitas histórias. Vanessa Silva, estudante da Unesp de Bauru, está se preparando para o seu oitavo desafio de baterias e o décimo ano de apoio nas quadras. Ela conta o que representa ser parte da história do Inter: “Essa parte de torcer e de ver o Inter acontecer, você fazer parte da história de ter 11 títulos; você ter ajudado a ganhar muito jogo; o atleta a não desistir quando perdeu uma modalidade, mas tinha que jogar outra duas horas depois; a virar um jogo faltando 10 segundos: tudo isso faz valer a pena”.

Bauru é o maior campeão geral dos jogos, o troféu mais almejado por cada uma das atléticas, com 11 títulos. Presidente Prudente vem na sequência com cinco títulos, os dois últimos nas duas edições mais recentes. Rio Claro e Botucatu tem um título cada.

Além dos jogos, o período no qual acontecem os jogos é marcado por festas diurnas e noturnas. Neste ano, três dias de festas atraem milhares de universitários em busca de se libertar da rotina. Guilherme Cintra, estudante de psicologia, já tinha ido à eventos semelhantes, mas será a primeira vez no Inter, ele expressa sua motivação para comparecer ao evento: “Estou esperando mais ir nas tendas, conhecer uma galera e fritar no rolê. O InterUnesp junta muita gente diferente, todo mundo querendo curtir junto e conhecer pessoas novas. É pra curtir, ir nos jogos e agregar culturas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *